O ÓDIO

Roberto Ribeiro De Luca

Entranhou-se em meu corpo, fumegante,
cresceu ruindo o peito, gelando os lábios,
mal dos feiticeiros, fúria do amante,
veneno sagital que cega os sábios!

Trinquei o chão, conheci a histeria.
Gritos, gemidos, pragas proferi.
Afilado pela emoção eu ia
de lá para cá, e cuspia em ti.

Esmurrando os ares, quebrei tua imagem.
As vísceras esmaguei-te pulando:
libertos, os fantasmas interagem...

Vórtice virei em ferrenha luta,
com faca de mentira variando...
Cem vezes te matei, filho da puta!