HUMILHAÇÃO E RESPOSTA

Roberto Ribeiro De Luca

 
I

Chega de conversa fiada!
Sou opulento proprietário,
atento, principal estrada!
Tu? Nesga ínfima, otário!

Tenho apólices e beleza.
Durmo pouco, o essencial.
Teu olho envesga com certeza.
Tu és louco, parola mal.

Veja-me a basta cabeleira.
Não fui vítima de ultriz.
Tua pasta achaste na lixeira?
Por que espinhas no nariz?

Não te contristes, vá embora!
Aviso, tens cara engraçada.
Preciso ficar só, agora.
Mico do cipó, tu és nada!

II

Eu não sou nada!
Sou algo.
Algo sincero procuro ser.
Algo singelo quero ser.

Gosto de ser, apenas.

Ser, ser, sempre ser,
sem pena de ser um ser,
apenas.

É supimpa ser apenas,
somente ser!
Não ser nada me faz feliz.

Eu sou tudo!
Eu sou feliz!